ARTIGO=PITÁGORAS

ARTIGO=PITÁGORAS

 

                                                     

Pitágoras, foi um filósofo e matemático grego que nasceu em Samos entre cerca de 571 a.C. e 570 a.C. e morreu em Metaponto entre cerca de 497 a.C. ou 496 a.C. A sua biografia está envolta em lendas. Diz-se que o nome significa altar da Pítia ou o que foi anunciado pela Pítia, pois mãe ao consultar a pitonisa soube que a criança seria um ser excepcional.Segundo o pitagorismo, a essência, que é o princípio fundamental que forma todas as coisas é o número. Os pitagóricos não distinguem forma, lei, e substância, considerando o número o elo entre todos estes elementos. Para esta escola existiam apenas quatro elementos: terra, água, ar e fogo.Representado pelos números 1,2,3 e 4 que é a soma do número 10;Exemplo:1+2+3+4=10,chamado pelos pitagóricos de tetraktys, tétrada em português. Assim, Pitágoras e os pitagóricos investigaram as relações matemáticas e descobriram vários fundamentos da física e da matemática. Para Pitágoras, como vimos o número dez era o mais importante, pois o Número Um representava Deus como está escrito no primeiro versículo do Capítulo 1, do Gênesis, diz:

Gen. I,1- “No princípio Deus criou os céus e a Terra” isto significa que a CAUSA sem CAUSA (Deus) se manifesta agora, tornando-se,

através de Sua criação (o céu e a terra), compreensível, palpável e capaz de ser entendido

como uma forma real da qual advirão todas as outras formas.

O Zero, representava que Deus veio do Nada, diz, o Versículo 2, do Capítulo I, do Livro Gênesis, o seguinte: Gen.: I, 2 - “A terra porém era sem forma e vazia: havia trevas sobre a face do

abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre as águas” Assim, o NADA não era um vazio absoluto. Nele já existia o Espírito de Deus que

ainda não se manifestara. Conclui-se, pois, que o NADA, ou seja o Espaço preenchido pelo

Espírito de Deus, foi anterior a tudo e dele partiram todas as coisas. O NADA é simbolizado

na escala numérica pelo ZERO. O ZERO é, pois, a representação simbólica do Espaço

absoluto, intangível e incompreensível para a mente humana, mas que portava em si o

Espírito de Deus, ainda manifestado, mas que sobre ele, ou nele, pairava. Assim, entende-se como o ZERO antecedeu ao UM: Ambos são um só e mesmo

Deus, porém o primeiro (ZERO) está em seu aspecto manifestado, enquanto que o segundo

(UM) apresenta-se em plena manifestação em virtude do Pathos da Vontade Divina. Ele (o

UM) é a UNIDADE em Sua atividade criadora manifestada pelo número UM, Raio de Luz

Cósmica emanado do ZERO para, com ele, formarem todos os outros números!

 

O Monocórdio

 

 

A descoberta de Pitágoras com seu monocórdio é uma das mais belas descobertas, que fundiu na época a matemática e a música. Os Pitagóricos foram os únicos até Aristóteles a fundamentar cientificamente a música, começando a desenvolvê-la e tornando-se aqueles mais preocupados por este assunto. Pitágoras teria esticado uma corda musical que produzia um determinado som que tomou como fundamental, o tom (o número 1),depois ele dividiu a corda na metade do comprimento da corda 1/2 e observou que se produzia a oitava, depôs dividiu 3/4 do comprimento da corda e percebeu que resultava a quarta, depois dividiu o correspondente a 2/3 do comprimento da corda e percebeu que se resultava na quinta.

Assim as fracções 1/2, 3/4, 2/3 correspondiam à oitava, à quarta e à quinta.

Exemplo:

 

SE O COMPRIMENTO DA CORDA FOR 12 E A REDUZIMOS PARA 6,A SUA METADE OUVIREMOS A OITAVA.

 

 

 figura4

 

Tocou depois na 9ª marca (correspondente a 3/4 do comprimento da corda) e resultava a quarta.

SE REDUZIMOS PARA 9,OUVIREMOS A QUARTA

 

 

 figura6

Ao tocar a 8ª marca (correspondente a 2/3 do comprimento da corda) resultava-se na quinta. correspondente a 2/3 do comprimento da corda) resultava-se na quinta.

SE REDUZIMOS PARA 8,OUVIREMOS A QUINTA.

 figura5

correspondente a 2/3 do comprimento da corda) resultava-se na quinta.