A MÚSICA EVOCA AS MESMAS EMOÇÕES NAS PESSOAS?

A MÚSICA EVOCA AS MESMAS EMOÇÕES NAS PESSOAS?

                                 Resultado de imagem para imagens pigmeus Mbenzélé

Em parte sim, em parte não, de acordo com um amplo estudo. As melodias em que o cidadão de uma grande metrópole ocidental soam tristes ou  dando-lhes uma sensação de medo e pavor, pode por outro lado parecer muito alegre e positiva para uma tribo Africana.

Pensa-se que a música desperta emoções universais, de se alegrar, entristecer, a todos da mesma maneira. Mas é realmente assim que acontece?Ou é a cultura, o meio ambiente e do tipo de interação social que na qual é associado com alguma música que eles agregam com a certos sentimentos e emoções? Difícil dizer em um mundo globalizado, onde agora a música ocidental veio para o ouvido de todos. Um grupo de pesquisadores tiveram a ideia de aproveitar uma das poucas possibilidades que temos ainda de analisar poucas populações que ainda existem existente e que nunca chegou aos seus ouvidos o nosso estilo de música, e observar “o efeito que ela faz”.

 

Se você é um pigmeu na floresta tropical congolesa ou um cidadão de uma grande cidade, certos aspectos da música vai tocar em você da mesma maneira, mas outros de maneira muito diferente, na qual esse estudo sugere.

"As pessoas têm tentado descobrir
a muito tempo a maneira que reagimos a música é baseada na cultura que temos ou de algumas características universais da música em si", disse o copesquisador Stephen McAdams, da Universidade McGill, em Montreal."Agora sabemos que é realmente um pouco de ambos."

Os pesquisadores viaj
arampara a floresta afim tocar a nossa música a um povo muito isolado, os pigmeus Mbenzélé, que vivem sem rádio, televisão ou eletricidade. Eles então compararam a forma como o Mbenzélé respondeu tanto à sua música própria e música ocidental para eles totalmente desconhecida, e por outro lado com que a forma como os canadenses do centro de Montreal respondeu às mesmas peças.

Eles descobriram que os dois grupos eram semelhantes em suas respostas à forma como excitante ou calmantes que
as musicas apresentadas eram para eles, mas divergiam sobre se peças específicas faziam sentir-se bem ou mal. Os pigmeus classificaram tudo, até mesmo a música mais "assustadora", como melodias que os tornavam felizes, de acordo com o estudo, publicado na revista Frontiers.

Os investigadores
executaram 19 pequenas peças musicais (11 ocidentais e 8 da tribo Mbenzélé) entre cerca de 30 e 90 segundos para 40 pigmeus e de igual número para cidadães canadenses. Todos os pigmeus Mbenzélé eram “cantores” que cantavam regularmente nos cerimoniais da tribo, e os canadenses recrutados para o estudo todos eram músicos amadores ou profissionais.

A música ocidental foi projetad
a para induzir uma gama de emoções que ia da calma para a mais animada, e do prazer para a ansiedade ou melancólica, e incluiu tanto música orquestral como trechos de três filmes populares (Psicóticos, Star Wars, e A Lista de Schindler).

As peças
dos pigmeus eram todas múltiplas (dublada) peças vocais polifônicas, que são bastante otimista e tendem a ser realizada em contextos cerimoniais para acalmar a raiva, ou expressar conforto após a morte, por exemplo, ou ainda para licitar boa sorte antes de uma expedição de caça quando deixam a aldeia, ou mesmo para acalmar uma criança que esta chorando. 

Os pesquisadores usaram
gestos emocionais como sorrindo ou franzindo a testa dos rostos afim de levar as pessoas a identificar se com a música se fazia sentir-se bem ou mal. Em todos os participantes enquanto ouviam as músicas, várias medidas também foram tomadas, tais como: frequência cardíaca, taxa de respiração, e quantidade de suor nas palmas das mãos.

"Nossa principal descoberta é que os ouvintes de grupos muito diferentes tanto responde
ram a quão excitante ou calmante eles sentiram a música de forma muito semelhante", disse Hauke​​Egermann da Technische Universität de Berlim, que fez parte da pesquisa, junto com a Universidade McGill,de Montreal."Este é provavelmente devido a certos aspectos de baixo nível da música, tais como tempo (ou bater), pitch (como alto ou baixo, a música é na escala) e timbre (cor ou qualidade de som), mas isso vai precisar ainda de mais pesquisa. "

A principal diferença entre Pigmeu e
os canadenses, segundo os pesquisadores, foi que os canadenses se descreveram como sentindo uma gama muito mais ampla de emoções enquanto ouviam a música ocidental do que os pigmeus sentiram ao ouvir as suas próprias musicas ou a música ocidental.Este é provavelmente atribuído talvez aos diferentes papéis que a música desempenha em cada cultura.

"As emoções negativas são sentid
as quando é perturbada a harmonia da floresta na cultura Pigmeu e são, portanto, perigosas", disse Nathalie Fernando, da Universidade da Faculdade de Música de Montreal, que tem vindo a recolher e documentar os Mbenzélé e a sua música durante 10 anos."Se um bebê está chorando, o Mbenzélé vai cantar uma canção alegre. Se os homens estão com medo de ir caçar, eles vão cantar uma canção na música alegre porque é utilizada nesta cultura para evacuar todas as emoções negativas, e por isso não é realmente surpreendente que o Mbenzélé sentem que toda a música que eles ouvem os faz sentir-se bem. "

Tanto os pigmeus e como os canadenses responderam de forma muito semelhantes, independentemente de como relaxante ou excitante foram os diferentes tipos de música. E isso poderia ser devido a alguns aspectos básicos da música, tais como tempo, tom e timbre, que representam as características verdadeiramente “universal”.

Abaixo video da música dos pigmeus Mbenzélé