Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis

ARTIGO=O CRAVO

ARTIGO=O CRAVO

 

Cravo é a designação dada a qualquer dos membros de uma família europeia de instrumentos musicais de tecla. Esses instrumentos pertencem ao grupo das cordas beliscadas, ou seja, geram o som tangendo ou beliscando uma corda em vez de percuti-la como no piano ou no clavicórdio.

Entre eles temos o cravo, virginal, o virginal muselar e a espineta. Todos esses instrumentos pertencem ao grupo das cordas beliscadas, ou seja, geram o som tangendo ou beliscando uma corda em vez de percuti-la como no piano ou no clavicórdio.

Cravo e clavicórdio são dois instrumentos de teclado medievais que foram inventados mais de 250 anos antes do piano. Muito diferentes em som e forma, esses instrumentos ganharam popularidade durante as eras do Renascimento e do Barroco, mas perderam favoritismo com a invenção do piano em torno de 1700. Pode-se dizer a diferença entre os dois por suas características distintivas.

O clavicórdio e o cravo produzem sons diferentes, de acordo com o mecanismo específico dentro de cada teclado. Quando as teclas são tocadas em um clavicórdio, uma barra em forma de "T" atinge uma corda lá dentro. A nota pode ser alcançada simplesmente movendo o dedo de um lado para o outro, assim como o violino é tocado. Quando a tecla é pressionada no cravo, as cordas perpendiculares lá dentro são tangidas.

O clavicórdio produz o som mais suave que qualquer instrumento, o que transmite uma sensação de tristeza. O som tranquilo tornou-o ideal para performances individuais e como um instrumento de prática. As teclas tangidas do cravo soavam mais como uma guitarra e tinham um tom nasal.

O CLAVICÓRDIO

 

O CRAVO

 

O VIRGINAL

 

VIRGINAL MUSELAR

 

ESPINETA

 

Abaixo vídeo do Prelúdio e Fuga em Dó Menor (Cm) a quatro (Quatro) Vozes do "Cravo Bem Temperado" de Johann Sebastian Bach.
Execução no Cravo pela Profa. Dra. Maria José Dias Carrasqueira de Moraes