A MÚSICA AJUDA A PREVENIR CONVULSÕES

A MÚSICA AJUDA A PREVENIR CONVULSÕES

A música ajuda a evitar convulsões. A atividade cerebral de pessoas que sofrem da doença epilética, de fato, é sincronizada com a melodia tocada sem provocar um ataque. Para explicá-lo o fenômeno uma equipe de pesquisadores da Universidade do

Estado de Ohio Wexner Medical Center, em Columbus (EUA), coordenado por Christine Charyton, observa: “Este estudo representa um primeiro passo para descobrir se a música pode afetar de alguma forma o cérebro.”

As convulsões são causados pela excessiva sincronização do neurona. No entanto, os estudiosos têm encontrado que, na presença de uma peça de música, os impulsos cerebrais dos pacientes são sincronizados com a música, sem causar qualquer ataque. Seu cérebro se comporta como a dos músicos:músicas com a suas respectivas notas musicais. A descoberta foi feita durante um estudo apresentado no Encontro Anual da Associação Americana de Psicologia, que foi realizada entre 6 e 9 de agosto de 2015, em Toronto (Canadá).

Os cientistas compararam a atividade cerebral de 21 epilépticos com a de outras pessoas afetadas pela doença. Através do uso de EEG, eles gravaram os impulsos do cérebro de voluntários enquanto ouve três canções:duas melodias de Mozart e uma canção do músico de jazz John Coltrane. Cada melodia foi precedido e seguido por 10 minutos de silêncio.

No final da experiência, eles descobriram que, durante a audição, a catividade neuronal das pessoas com epilepsia foi mais elevada, mas não no entanto resultar em uma convulsão. Em particular, as ondas cerebrais tendiam a sincronizar com a música,em maior extensão em comparação com os de indivíduos saudáveis. O fenômeno ocorreu principalmente ao nível do lobo temporal, a área do cérebro na qual o córtex auditivo é localizado, a área em que a música é processada. O lobo temporal também representa o ponto em que, em 80% dos casos de epilepsia, os ataques surgem.

De acordo com especialistas, ouvir música pode melhorar a eficácia das terapias medicamentosas tradicionais."Nós sabíamos que os cérebros dos músicos vão sincronizar mais com a música, mas não tínhamos certeza do que ele poderia fazê-lo também a do epiléptico – explica Christine Charyton -.. Os impulsos do cérebro de pessoas com epilepsia são sincronizados antes de uma crise entanto, em nosso estudo, os pacientes foram sincronizadas com a música sem mostrar qualquer ataque ".