HISTÓRIA DO ACORDEOM

HISTÓRIA DO ACORDEOM

 

Em 2700 a.C., foi inventado, na China, o instrumento musical denominado cheng, que é tocado até hoje. É uma espécie de órgão portátil tocado pelo sopro da boca. Tem a forma de uma fênix, que os chineses consideram a rainha entre as aves. O cheng é dividido em 3 partes:
Recipiente de ar
Canudo de sopro
Tubos de bambu
O recipiente de ar parece o bojo de um bule de chá. O canudo de sopro tem a forma de um bico de bule ou do pescoço de um cisne. A quantidade dos tubos de bambu variava, porém, a mais usada é a de 17. Interessante é que, destes 17 tubos de bambu, 4 não têm a abertura embaixo para a entrada do ar, sendo, portanto, mudos e colocados somente por uma questão de estética. Na parte superior do recipiente de ar ou reservatório de ar, existem as perfurações onde são fixados os tubos de bambu. Em cada tubo, é colocado a lingüeta ou palheta, para produzir o som. Este recipiente (espécie de cabaça) é abastecido constantemente pelo sopro do músico, que tapa, com as pontas dos dedos, os pequenos orifícios que existem na parte inferior de cada tubo. De acordo com a música a ser executada, ele vai soltando os dedos, podendo formar até acordes. Em cada tubo de bambu, há um caixilho próprio para ser colocada a lingüeta, presa por uma extremidade e solta na outra, que vibra livremente quando o ar comprimido a agita.O cheng é o precursor do harmônio e do acordeão, pois foi o primeiro a ser idealizado e construído na família dos instrumentos de palheta. De acordo com a região que era usado, o cheng recebia nomes diferentes: schonofouye , hounofouye, tcheng, cheng, khen, tam kim, yu, tchao e ho.
ABAIXO UM VÍDEO COM UMA ORQUESTRA DE SHENG OU CHENG.
 
De acordo com estudos realizados pelo luthier Mario Majano Buonoconto de Udine, a forma e o funcionamento do acordeão (acordeão) pode ser atribuído a Leonardo da Vinci, como no esboço original e as poucas palavras de comentário escrito por Leonardo in "Folha de 76 de Madrid MS. II (1503-1509), agora na Biblioteca Nacional de Madrid. Buonoconto após estudos técnicos realizados em Buenos Aires , começou a aprofundar o estudo da música e instrumentos musicais. mudou para a Itália, ele começou a construir ferramentas antiga, medieval e renascentistas de todos os tipos, cravo, sanfona, alaúde, vielle, instrumentos de cordas executados hoje pelos principais grupos de música antiga e instituições Música na Itália e na Europa ou em exibição em museus e coleções particulares. Buonoconto impulsionado pela curiosidade de um artigo que falava de um instrumento construído por um espanhol ,seção "órgão de Papel" chamado um esboço de Leonardo da Vinci, Mario descobre a semelhança com o acordeão atual. As poucas linhas escritas por Leonardo da Vinci ao lado do esboço forneceu dados importantes e desafiadoras para iniciar o estudo e concepção do instrumento "Acordeom de  Leonardo da Vinci." As diferenças mais importantes entre o acordeão moderno e de Leonardo ,consiste no fato de nos primeiros foles operava de ação simples, e o som era produzida por palhetas livres, enquanto que no projeto de Leonardo o  fole é de dupla ação, isto é, o fluxo de ar é contínua através da abertura e do fechamento do fole, também o som é produzido a partir da cana e funciona praticamente da mesma maneira dos órgãos. A invenção de Leonardo da Vinci é muito importante para a história do acordeão, podemos dizer que Leonardo da Vinci é o pai do acordeão,pois foi inventado praticamente três séculos antes do nosso moderno acordeom.                                           
 De acordo com o padre jesuíta Amiot, o cheng foi levado da China para São Petersburgo, na Rússia, onde Kratzenstein (Christien Theophile), doutor em filosofia, em medicina e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Copenhague, nascido em Wernigerode, na Prússia, em 1723, examinou o instrumento e verificou que o seu agente sonoro era uma lâmina de metal que vibrava por meio do sopro, produzindo sons graves e agudos.
Ele sugeriu que Kirschnik aplicasse, nos tubos dos órgãos de sua fabricação, esta lâmina livre de metal, o que foi feito em 1780. Da Rússia, passou para a Europa, tendo a Alemanha tomado grande interesse sobretudo nos instrumentos de órgão. Foi daí que Christien Friederich Ludwig Buschmann, fabricante de instrumentos, teve a idéia de reunir várias lâminas afinadas e fixadas numa placa formando uma escala cujos sons se faziam ouvir passando rapidamente através do sopro, isto em 1822. Mais tarde, ele transformou esta pequena placa num instrumento musical para brinquedo de criança, tocado com as duas mãos, ao qual deu o nome de handaolina ou harmônica de mão. Para tanto, aumentou o número de palhetas de metal e o tamanho do aparelho , anexando- lhe um pequeno fole e uma série de botões. Este instrumento, depois, segundo a história, foi aperfeiçoado por Koechel e, 7 anos mais tarde, o austríaco Cirilo Demian construiu, em Viena, um instrumento rudimentar de palheta livre, teclado e fole, ao qual, em virtude de ter 4 botões na parte da mão esquerda que, ao serem tocados com os dedos afundados, permitiam a obtenção do acorde, deu o nome de acordeão, nome que ficou definitivamente ligado ao instrumento através de inúmeros aperfeiçoamentos.
O sistema de palheta livre já havia sido aperfeiçoado por Grenié em 1810, na França, sendo rico em sonoridade e dando origem ao órgão. O francês Pinsonat empregou o mesmo sistema no alamiré ou diapasão tubular que veio a chamar-se tipófono ou tipótono e do qual se originou a gaita de boca, cuja invenção se deve a Eschenbach. A gaita de boca é um conjunto de palhetas metálicas como lingüetas, dispostas cada uma em seu caixilho e vibradas pelo ar soprado pela boca. Na França, o acordeão foi aperfeiçoado em 1837 por C. Buffet. Segundo todos os tratados sobre o assunto, o acordeão nada mais é do que o aperfeiçoamento de diversos instrumentos do mesmo gênero, como o oeline de Eschenbach, o aerophone de Christian Dietz, a physarmónica de Hackel etc., tomando, desde esta data, sua forma definitiva e seus variados registros para mudança de intensidade e timbre do som.
Mais tarde, com a escala cromática, o acordeão pôde produzir qualquer melodia ou harmonia e inúmeros fabricantes o aperfeiçoaram colocando registros, tanto na mão direita com na esquerda, para maior variedade de sons. É na Itália que se fabricam os melhores acordeões6 , tendo sido os primeiros construídos em 1863 em Castelfidardo, em Ancona, surgindo depois Paolo Soprani e Stradella-Dellapé. Nos Estados Unidos, há diversas fábricas, sendo a marca Excelsior a mais famosa. Na Alemanha, foi construído o primeiro acordeão em 1822, em Berlim. Vem desse país a marca Hohner.
O som do acordeão é criado quando o ar que está no fole passa por entre duas palhetas (localizadas no chamado castelo, dentro do fole), que vibram mais grave ou agudo de acordo com a distância entre elas (quando mais distantes, mais grave o som) e seu tamanho (quanto maior, mais grave o som produzido). Quanto mais forte o ar é forçado para as palhetas, mais intenso é o som. O ar é proveniente do fole, que é aberto ou fechado com o auxílio do braço esquerdo.
A maioria dos acordeões tem quatro vozes, que são diferentes oitavas para uma mesma tecla ou botão. Portanto, num acordeão de quatro vozes com o registro 'máster' pressionado, ao tocar um Dó, na verdade são tocados dois Dós na oitava que pressionou, um Dó uma oitava acima e um Dó na oitava abaixo, e isso é responsável pelo som único do acordeão.