ARTIGO=FOI MAESTRO POR ACASO NO BRASIL

ARTIGO=FOI MAESTRO POR ACASO NO BRASIL

                                                     



Arturo Toscanini (Parma, 25 de Março de 1867 – 16 de Janeiro de 1957) foi um maestro italiano. Um dos mais aclamados músicos do século XIX e XX, ele foi renomeado pela sua brilhante intensidade, seu inquieto perfeccionismo, sua fenomenal orelha para detalhes e sonoridade da orquestra e sua memória fotográfica. Ele foi especialmente considerado um autoritativo intérprete das obras de Giuseppe Verdi, Ludwig van Beethoven, Johannes Brahms e Richard Wagner. Toscanini nasceu em Parma, Itália, e conquistou uma bolsa para o conservatório musical local, onde estudou violoncelo. Ele ingressou na orquestra de uma companhia de ópera, com qual fez turnê para a América do Sul em 1886. Enquanto apresentava Aída, na sua turnê pelo Rio de Janeiro em 1886, Leopoldo Migues, o condutor local, atingiu o ápice de uma escalada de conflito com os músicos, devido ao seu trabalho bastante pobre, a tal ponto em que os cantores entraram em greve, forçara o empresário da companhia a procurar um outro maestro substituto. O maestro Aristide Venturi foi chamado, mas não foi aceito pelo público, então, de última hora, os músicos sugeriram que o músico violoncelista Toscanini conduzisse a ópera, assim, as 21:15 ele que não era maestro mais um simples instrumentista da orquestra tomou a batuta e conduziu duas horas e meia de ópera apenas de memória, tornou-se desta forma maestro. O público foi tomado de surpresa, num primeiro momento pela juventude deste desconhecido maestro, e em seguida, pela sua sólida maestria. O resultado foi numa aclamação surpreendente. Ele conduziu dezoito óperas até o fim da turnê. Começando assim, sua carreira como maestro, aos dezenove anos de idade. Ao retornar para a Itália, Tosca nini voltou para sua cadeira na seção dos violoncelos e participou como violoncelista na estreia mundial de Otello (Verdi) no La Scala no ano de 1887, sob a supervisão do compositor. Verdi ficou impressionado com Toscanini, principalmente quando ele foi consultar Verdi sobre uma pontuação na partitura. Gradualmente a reputação do jovem músico como um maestro começou a se firmar. Na década seguinte ele consolidou sua carreira na Itália, nas estreias mundiais de La Bohème (Giacomo Puccini) e Pagliacci (Ruggiero Leoncavallo). Em 1896 Toscanini conduziu seu primeiro concerto sinfônico (em Turim, com obras de Schubert, Brahms, Tchaikovsky e Wagner). Em 1898 ele foi o maestro residente no La Scala, permanecendo lá até 1908, voltando para este posto na década de 1920. Ele levou a Orquestra do La Scala para os Estados Unidos em uma turnê em 1920/21, onde fez sua primeira gravação.Fora da Europa, ele conduziu no Metropolitan Opera em Nova Iorque (1908 – 1915) bem como a Orquestra Filarmônica de Nova Iorque (1926 – 1936). Toscanini percorreu a Europa com a Filarmônica de Nova Iorque em 1930, ele e os músicos foram aclamados pela crítica e público. Toscanini foi também o primeiro maestro não alemão a aparecer em Bayreuth (1930 – 1931) e a orquestra Filarmônica de Nova Iorque foi a primeira orquestra não alemã a tocar ali. Na década de 1930 ele se apresentou no Festival de Salzburgo (1934 – 1937) e em 1936 ele conduziu o concerto inaugural da Orquestra Sinfônica da Palestina (que passou a ser Orquestra Filarmônica de Israel) em Tel Aviv, se apresentando com ela em Jerusalém, Haifa, Cairo e Alexandria.

Abaixo vídeo da 2ª parte da opera Aída de Verdi regida por Toscanini em 1949.